quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Gotas de prazer e saúde

O nectar do deuses! Assim chamado o vinho que nos acompanha nas mais diversificadas comemorações, é uma bebida milenar, que está presente na história da humanidade desde aproximadamente 6.000 a.C,  tem muita  importância até nos ritos religiosos critãos e judáicos. É uma bebida com tanto prestígio que foi associada ao deus romano Baco e ao deus grego Dionísio. E vem sendo alvo de estudos para se descobrir o que se tem de tão prazeroso em cada taça dessa deslumbrante bebida, e qual e relação entre o vinho e a saúde.



Qual será o segredo do vinho?! O que o torna tão especial e diferente das outras bebidas? Estes estudos trouxeram revelações extraordinárias sobre as propriedades desta bebida, mostraram que uma taça de vinho ingerida diariamente reduz o risco de hipertenção, o colesterol, o risco de doenças cardíacas, reduz a proliferação das células cancerígenas e até evita a perda da memória, combatendo também o envelhecimento.
Este efeito curativo do vinho pode ser explicado pela presença de um elemento encontrado na casca e semente das uvas, e assim no vinho, que são os polifenóis, são eles que tornam a bebida espetacular. O segredo também está na relação harmoniosa entre polifenóis e álcool, que é o melhor solvente desta substância. Os polifenóis tem a função de defesa das plantas, ele protege os vegetais contra bactérias, fungos, raios ultravioleta e vírus, protegendo também a nossa saúde. Logo estas virtudes terapêuticas vem do efeito antibiótico e antioxidante que é muito marcante, sendo relatado também em vários estudos que esta substância melhora significativamente a atividade vascular, ou seja, a capacidade de a artéria se dilatar e impede a formação de placas de gordura na artéria aorta, aterosclerose, que pode levar ao enfarto. As artérias precisam se dilatar para facilitar  a circulação do sangue, esse fenômeno é fundamental para a nossa vida.
 
Para comprovar o efeito de combate à aterosclerose exercida pelo vinho, foi feito um estudo no Institudo do Coração em São Paulo, usando coelhos. Este experimento ocorreu da seguinte maneira: “coelhos foram tratados com uma dieta rica em gorduras por 12 semanas e divididos em três grupos. Um grupo recebia além da dieta água, o outro suco de uva e o terceiro vinho tinto. No final de 12 semanas os coelhos foram sacrificados. Foi comparada a quantidade de placas de gorduras na artéria aorta de todos os coelhos. O que se encontrou foi que os coelhos que tomaram água tinham 70% da área da artéria aorta com placas de gordura, os que tomaram suco de uva (bebida rica em polifenóis, mas sem álcool) tinham 47% da área da artéria comprometida com placas de gordura e os que receberam vinho tinto (bebida rica em polifenóis e mais o álcool) apenas 38% da área da artéria aorta com gorduras.
Uma pesquisa que visou comparar o efeito do vinho tinto (bebida alcoólica rica em polifenóis) com um destilado (bebida alcoólica sem polifenóis) no organismo humano foi feita com 40 homens sãos, com idade média de 37 anos. Todos receberam durante 30 dias o equivalente a 30g de álcool, numa etapa como vinho tinto e em outra como bebida destilada. Nos dois períodos de estudo foram medidos alguns marcadores de aterosclerose (quando o colesterol sofre ação dos radicais livres, se oxidam e vão se aderindo com células às paredes dos vasos sangüíneos de maneira a formar placas que acabam por obstruir-los).
Esta pesquisa evidenciou um efeito protetor ao desenvolvimento de aterosclerose para ambas as bebidas, mas significativamente maior para o vinho tinto. Enquanto o destilado diminuiu a adesão de células na parede dos vasos em 39% o vinho tinto diminuiu em 96%.” Foi explicado todo o procedimento desta pesquisa pelo pesquisador Protásio Lemos da Luz.



Foi descoberto também que no vinho tinto é encontrado mais polifenol que no vinho branco, pois a fermentação do vinho tinto é feito com a presença da casca e semente das uvas, já o vinho branco, sua fermentação é feita sem estes elementos. E cerca de 90% a 95% do polifenol se encontra nestas estruturas por isso o vinho tinto tem mais concentração desta substância. Embora a quantidade de polifenol no vinho branco seja menor seu efeito antioxidante é bem significativo, sendo rico em magnésio, potássio e sódio, também tendo maior efeito diurético. Estes fatos levam quem tem o hábito regular de beber o vinho branco ter uma melhor função pulmonar.

Então a cada brinde feito com este néctar da saúde  pode, graças aos compostos fenólicos, estar trazendo vários benefícios à saúde de quem o consome como:
·         Controlar e previnir a hipertenção
·         Diminui o risco de pedras nos rins
·         Previne a arterosclerose
·         Ajuda a desfazer gorduras
·         Regula o humor
·         Melhora a digestão e o sono
·         Melhora o QI
 
Mas vamos ficar de olho então: beba com moderação, freqüentemente.


 
Apesar de todos estes benefícios o vinho não é recomendado para todas as pessoas como gestantes, indivíduos com tendência ao alcoolismo e com problemas gostrointestinais. E também o melhor é ser consumido junto às refeições e nada mais que uma ou duas taças de vinho. Ultrapassando essa dosagem o vinho passa de um herói da saúde para o vilão, tendo maior probabilidade de problemas do coração e derrame. Então para que o seu vinho lhe traga saúde e alegria vamos consumir com moderação e levando sempre uma vida saudável.



 

Bibliografia:
Postado por: Jessyca Dias Souza

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário