terça-feira, 7 de dezembro de 2010

O caminho do álcool no organismo

    Vamos ver qual é o caminho, da cervejinha ingerida do seu final de semana, no seu organismo.  90 % do álcool etílico quando ingerido é absorvido, sua distribuição  e absorção é rápida no começo do uso porém caindo posteriormente, sendo eliminado apenas 5% através da urina, saliva e suor. A  maior quantidade de etanol é absorvida no intestino delgado ,e em menor quantidade a absorção ocorre no cólon e estômago. A concentração do ácool no corpo depende de vários fatores como: a massa corporal,  quantidade de comida no estômago,  quantidade de álcool consumida em um determinado tempo e metabolismo de quem bebe.
    A velocidade de absorção do álcool está associado com: 

    ● o tipo de bebiba - há algumas bebidas que sua absorção tende a ser mais rápida, estas são bebidas carbonadas; 
    ● a ingestão de comida antes do consumo da bebida - quanto mais comida você consumir menor a absorção do álcool, se consumido em jejum maior a absorção;
    ● a concentração de álcool em uma bebida - quanto maior a concentração, mais rápida a absorção.

 
    Primeiramente a bebida vai direto para estômago, onde é absorvido. Por causa da sua hidrossolubilidade o álcool chega então na corrente sanguínea, sem sofrer qualquer alteração química, ocorrendo assim a sua dissolução na água  e sendo transportado por todo o corpo. Depois dessa dissolução ele entra nos tecidos intra e extracelulares do corpo, exceto no tecido de gordura pois o álcool não é solúvel em gordura.
    Uma vez dentro dos tecidos o ácool pode acarretar vários efeitos, dependendo da concentração de álcool no sangue (CAS), tendo sua contração plasmática alterada depois de 20 minutos após a ingestão da bebiba. Posteriomente o etanol passa pelo fígado onde é metabolizado; se sua capacidade de metabolização não for eficiente acarreta um aumento da concentração de ácool no sangue, que leva para o cérebro. Assim o SNC é diretamente atingido causando vários distúbios nos indivíuos e possíveis doenças.


    Ao chegar no fígado o etanol é matabolizado, este órgão tem o papel de “se livrar” do ácool ingerido através de duas reações, tendo um grande papel de purificador,  transformado em CO2 e H2O. É catalisado por uma série de enzimas hepáticas, das quais a mais importante é a álcool deidrogenase dependente . Ele é oxidado em acetaldeído através da enzima álcool desidrogenase transforma etanol em etanal, (acetaldeído) que é oxidado mais adiante a acetato pela enzima “aldehide dehydrogenase”. O acetato é então convertido a Acetil-Coa  pela acetato-Coa Ligase em uma reação dependente de ATP. A produção de acetil-Coa constitui a ligação entre degradação de etanol e metabolismo de intermediário.
    Nessas reações os elétrons são transferidos ao NAD+, aumentando a concentração de NADH. O aumento do NADH diminui o concentração de glicose, através de reações intermediárias podendo causar hipoglicemia pois diminui a síntese de glicose, causando intoxicação alcóolica com vários efeitos que veremos adiante. E até que estas reações ocorreram por completo, pois demora uma hora, o cérebro ja foi atingido e o festeiro está naquela fase de nem conseguir andar em linha reta.


Nenhum comentário:

Postar um comentário